Art Nouveau

CONTEXTO HISTÓRICO  

          O Art Noveau ou Arte Nova foi um movimento artístico que sugiu no final do século XIX na Bélgica, fora do contexto em que normalmente surgem as vanguardas artísticas. Vigorou entre 1880 e 1920, aproximadamente. Existia na sociedade em geral o desejo de buscar um estilo que refletisse e acomplanhasse as inovações da sociedade industrial. A segunda metade do século XIX marcou uma mudança estética nas artes, a inspiração na antiguidade vigorava desde o século XV, e as fórmulas baseadas no Renascimento começam a dissipar-se dando lugar a Arte Nova, que se opunha ao historicismo e tinha como tônica de seu discurso a originalidade, a qualidade e a volta ao artesanato. A sociedade aceitou novos objetos, móveis, anúncios, tecidos, roupas, jóias e acessórios criados a partir de outras fontes: curvas assimétricas, formas botânicas, angulares, além dos motivos florais.

 

ART NOUVEAU NO MUNDO

          Art Nouveau teve a expressiva participação do arquiteto Gaudi, que entrava na obra e o projeto estava em sua mente. Depois de sua morte, a igreja Sagrada Família, em Barcelona, teve um longo período para ser finalizada, uma vez que ninguém conseguia conceber o restante do projeto que faltava concluir, devido a grande complexibilidade.    

Igreja da Sagrada Família - Barcelona - Antoní Gaudí - Sua construção teve início em 1882 e até hoje continua inacabada.

             Na arquitetura, o ritmo orgânico e linear envolve uma construção, mostrando uma união de ornato e estrutura (a linha arquitetural e a decoração se fundem e reforçam) , juntamente com a utilização de novos materiais como o ferro e o vidro.

            Os artistas ansiavam por representar seus sentimentos em suas imagens, que eram transmitidos pela linha pura. Evitava-se a lei da gravidade e perspectiva, não havendo diferença de objeto e fundo. A assimetria dominava, e enfatizada, não existindo uma simples duplicação da forma. 

           Uma das principais influências do estilo foi a natureza, mas contrária do Impressionismo.  Seus artistas não buscavam transmitir sensações provocadas pela natureza, mas procuravam analisar os detalhes, fazendo brotar verdadeiras metamorfoses decorativa até chegarem a uma síntese, convertendo efeitos da luz em decoração, por exemplo, e capturando linhas da natureza e reduzindo-as a um esquema. 

Escadaria e decoração no estilo Art Nouveau

Fachada em estilo Art Nouveau

     

  ART NOUVEAU NO BRASIL

          No Brasil, observam-se leituras e apropriações de aspectos do estilo Art Nouveau na arquitetura e na pintura decorativa. Em sontonia com o  boom do ciclo da borracha, entre 1850/1910, as cidades de Belém e Manaus tem, incorporados à sua arquitetura, vários elementos Art Nouveau.

Neste palacete observamos as grades das janelas, o portão de entrada (em ferro fundido) e inetrnamente a existencia de vários lustres.

Residência de Antonio Faciola

          No norte do país o Art Nouveau também teve incorporado elementos da cultura local, como homens marajoaras e indígenas.

          No Rio de Janeiro tem-se a influencia do Art Nouveau na Confeitaria Colombo, inaugurada em 1905.

Confeitaria Colombo Fonte: Banco de imagens da prof. Ana Laura Vilella

 

Teto da Confeitaria Colombo. Fonte: Acervo da prof. Ana Laura Vilella

 

          Em São Paulo temos um edifício importante que representa o Art Nouveau: a Vila Penteado, projetada pelo arquiteto sueco Carlos Ekman (1866-1940) e construída em 1902 para abrigar duas importantes famílias paulistas, a do Conde Antonio Álvares Penteado e a de seu genro, Antônio Prado Junior.

          Situado na Rua Maranhão, no Bairro de Higienópolis, o prédio foi doado à USP em 1949, a luxuosa construção de dois pavimentos, com mais de 60 cômodos, é hoje a sede da Pós Graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAU-USP.

Vila Penteado antes do restauro

 
 
 
 
 

Vila Penteado antes do restauro

 
 
 
 

Vila Penteado atualmente

 Podemos então resumir o movimento em algumas características chaves:

1-      Temática naturalista (flores e animais);  

2-      Motivos icônicos, estilísticos e tipológicos derivados da arte nipônica;  

3-      Arabescos lineares e cromáticos; preferência pelos ritmos baseados na curva e variantes; a cor, tons frios, pálidos, transparentes, formados por zonas planas, ou esfumadas  

4-      Recusa da proporção e equilíbrio simétrico, a busca de ritmos musicais, em elementos ondulados e sinuosos  

5-      Propósito de comunicar por empatia um sentido de agilidade, elasticidade, leveza, juventude, otimismo.

         

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s