Art Deco

CONTEXTO HISTÓRICO

          Vigorou nas décadas de 1920 e 1930 (aproximadamente). O Art Deco é o estilo que antecede o mederismo, na verdade foi a transição de dois momentos bem distintos: o eclético e o moderno. Seu nome teve origem na Exposição Internacional de Artes Decorativas e Industriais Modernas (em francês: Exposition Internacionale dês Arts Décoratifs et Industriels Modernes) que ocorreu em Paris em 1925. 

          Numa época em que o estilo eclético já não dava mais conta de produção que o século XX demandava, emerge o Art Deco, com suas formas menos rebuscadas e mais geometrizadas.

 URBANISMO

– Valorização da esquina;

-Sugimento de vários fios elétricos que passavam em frente as edifícações, tornando assim o local mais poluído, por causa da revolução indústrial;

Fonte: Acervo da professora Ana Laura Viana Vilella 

Fonte: Acervo da professora Ana Laura Viana Vilella 

ARQUITETURA

– Não tem simetria;

– Ainda aparecem alguns frontões, mas bem geometrizados;

– A comprosição da fachada incorpora muitas formas geométricas;

– O aprimoramento das tecnologias construtivas permite grandes vãos e e uma verticalização mais acentuada;

– No padrão decorativo Art Deco predominam linhas retas e circulares estilizadas, além das formas geométricas e abstratas;

– Em termos de acabamento e afrescos eles não são totalmente retos, mas nota-se claramente uma distancia dos detalhes do período anterior;

– Possui reentrancias e volumes destacados (geralmente o do acesso);

-Utilização de cores mais fortes do que as utilizadas nos períodos anteriores;

-Articulação e escalonamento de planos;

-Divisão do edifício em 3 partes (base, corpo e coroamento);

NOVAS MODALIDADES DE CONSTRUÇÃO

          Neste período começaram a surgir modalidades de construção que não existiam em nenhum outro período, como estações de trem, edifícios altos, fábricas, lojas e centros comerciais, pavilhões de exposições que passaram a caracterizar a época. O art deco não foi aceito de maneira imediata por todos.

         O Art Déco não conseguiu se afirmar como solução definitiva para a arquitetura da época, configurando-se como uma moda passageira consumida pela burguesia e demais segmentos sociais em face de sua divulgação nos veículos de massa.

Edifício em altura em Belém – PA

Fonte: Acervo da professora Ana Laura Viana Vilella 

 

Agência do correios e telégrafos  em Belém – PA 

Fonte: Acervo da professora Ana Laura Viana Vilella 

Praça CívicaFonte: Acervo da professora Ana Laura Viana Vilella 

Fonte: Acervo da professora Ana Laura Viana Vilella 

 

          No Brasil pode-se destacar três linhas de Art Déco:

          A primeira mais seca e geometrizada, muito próxima do racionalismo modernisa e também conhecida como escalonada.

Estação Dom Pedro II – Central do BrasilFonte: Acervo da professora Ana Laura Viana Vilella 

 

          A Segunda afrancesa, com resquícios acadêmicos e ênfase decorativa, lembrando o Art Noveau inglês e autríaco.

Edifício Rua Barão de São Félix

Fonte: Acervo da professora Ana Laura Viana Vilella 

            A terceira sinuosa e aerodinâmica, inspirada no expressionismo e também denominada streamline.

Torre Einstein

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s